Inicio Favoritos Espaço Cultural Falar e Escrever
Contato

favoritos

bullet

editorial

Setembro chegou e com ele vamos em frente. O Conselho Editoria do LITERARTE-SP, como já foi amplamente divulgado, cria o Clube dos Amigos do Literarte-SP, um grupo de amigos, leitores e assinantes, evidentemente que ao longo tempo contribui para a sua sobrevivência.
Estes colaboradores têm prioridade na publicação de seus trabalhos, tanto no LITERARTE propriamente dito, quanto no suplemento que há anos circula como encarte oficial, reservado mais para eventuais colaborações, nomes de expressão e o chamado "pessoal de fora", ou seja, aqueles colaboradores do exterior. Afinal, gente, não podemos desprezar ninguém.
As credenciais de todos estes companheiros já estão sendo confecionadas e brevemente, estaremos mandando-as para todos via correio.
E neste fecho, gostaríamos de cumprimentar a Federação Brasileira de Alternativos Culturais que a partir de agosto último nos brinda com artístic edição em cores, o Jornal da FEBAC, fruto da parceria com o Sindicato dos Gráficos-SP.

Simplesmente espetacular!
Filie sua publicação à FEBAC. É uma boa!


bullet

Mestre Gaio a todo o vapor

  bullet

O Médico da Familia

Olegário Alfredo, membro da Academia Brasileira de Literatura de Cordel, dando sequência sua inesgotável produção apresenta o folheto Rogério salgado, o poeta obstinado que nao deixa a poesia descansar retratando, claro, as virtudes desse grande ativista cultural de Campos RJ, há muito radicado em Belo Horizonte. O pupular mestre Gaio, natural de Teófilo Otoni, também vive na capital das Alterosas há muito. Ele é autor de mais de uma centena de t´tulos de cordel sobre os mais vairados temsas e personagens.
Interessados em contatá-lo até para projetar trabalho semelhante, devem ligar para (31) 9915-2177. E-mail: olegaras@mg.trt.gov.br

 

Como fica o TABAGISMO?

O governo do Estado de São Paulo deu o primeiro passo. A nova lei antifumo que entrou em vigor no início de agosto acaba com fumódromos e restringe o ato de fumar em locis fechados. Ela tem como principal objetivo proteger o fumante passivo.
O Tabagismo é uma doença que necessita de tratamento.
Abandonar o vício de fumar, não é mera falta de força de vontade e sim acabar com o vício provocado pela nicotina, que é uma das drogas mais eficazes para combater a ansiedade e depressão, no entanto a mesma vicia e junto do alcatrão que é cancerígeno, promove o aparecimento do câncer.
As principais dificuldades para largar o cigarro são: a falta de força de vontade e a síndrome da abstinência. Você precisa querer largar o vício e deve trocar este vício por saúde - a nossa maior riqueza.
O dia 29 de Agosto é o dia nacional de combate ao fumo. De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde) cerca de um quinto da população mundial é viciada em cigaarro. A cada ano morrem cinco milhões de pessoas por doenças relacionadas ao tabaco. No Brasil, segundo o Ministério da Saúde, o Cigarro provoca mais de 200 mil mortes anuais, das quais dez mil são de pessoas que não fumama, ou seja, os fumantes passivos.
Não esqueça; O TABAGISMO É A MAIOR CAUSA DE MORTE EVITÁVEL!!!
Se você quer parar e não consegue procure um médico.


Correspondência: Rua Orville Derby, 118 CEP 03112-030 - Sâo Paulo/SP
Tel.; (11) 2291-1923

Sete de Setembro
O DIA DA PÁTRIA

 

Quando o poeta e crítico literário Joaquim Osório Duque-Estrada nasceu, em 1870, no município de Vassouras/RJ, os acordes do Hino Nacional Brasileiro, criado pelo músico Francisco Manuel da Silva, já soava em festividades importantes há quase 40 anos. Apenas em 1909, a letra escrita por Duque-Estrada juntou-se à música, depois de escolhida em um consurso. Este ano comemora-se, portanto, 100 anos da composição do hino, numa parceria de autores que, efettivamente, nunca aconteceu.
Francisco Manuel era um músico de muito prestígio no Rio de Janeiro, então a capital federal. Estudou com o padre José Maurício Nunes Garcia, um dos maiores nomes da música colonial brasileira, e foi nomeado cantor da Capela REal em 1809, com a chegada da corte protuguesa ao Brasil. Tocava violino, pliano e órgão, além de rganizar e dirigir conjuntos musicais, e destacou-se também como regente e promotor do ensino organizado de música. Partidário da Revolução de 7 de abril, em 1831, que levou à abdicação de D. Pedro I, Francisco manuel criou a melodia para comemorar o sucesso da revolta, segundo alguns autores. Outros, mais ufanistas, insistem que a musica foi composta na época da Independência, em 1822, para homenagear a nova nação que surgia na América. O que se sabe com certeza é que a beleza da composição fez com que, apesar das sucessivas tentativas de substituição, resistisse até hoje como símbolo do país, sobrevivendo a revoltas e revoluções.

 

ASSOCIE-SE AO CLUBE DOS AMIGOS DO LITERARTE

início | favoritos | tribuna da fé | espaço cultural | falar e escrever | contato

 

Este site foi atualizado em 15/10/09 - afernandes@afernandes.ppg.br